Granja perde mais de 18 mil aves por falta de energia elétrica

136 views

Empresário entrou na justiça para pedir reparação de perdas e danos

A Granja HB II, uma das mais criadores de aves de corte na região de Rolim de Moura, localizada no distrito de Nova Estrela, move ação contra a Ceron/Energisa pelos prejuízos causados em função da morte de 18 mil pintinhos de 21 dias,  no dia 25 de fevereiro desse ano.

Ivani Bueno de Souza, proprietário do aviário, descreve em relatório que o helo fusível da rede da concessionária queimou, gerando a abertura da chave que garantia a passagem de energia ao aviário. O empresário informa que entrou em contato com a empresa e foi informado de que não poderia ser atendido porque existia uma conta de energia atrasada.

Ele diz que por já ter enfrentado situações semelhantes dispunha de um gerador próprio de energia, que foi acionado emergencial, das 12h as 18h. O equipamento não aguentou a sobrecarga, mas nesse meio um eletricista contratado por Ivani Bueno trabalhava na troca da chave, o que impediu a morte de pelo menos 60 mil aves.

“Com o gerador funcionando conseguimos salvar as aves mais fortes, mas infelizmente 18 franguinhos de 21 dias pereceram”, disse ele.

O produtor apresentou também laudo de médico veterinário do IDARON  constatando que as aves não foram vítimas de nenhum processo infeccioso, tendo morrido em função da elevada temperatura, já que os barracões ficaram com ventilação precária.

Em função do descaso da concessionária de energia elétrica o empresário registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Policia Civil e cobra, judicialmente, o reembolso no valor de R$ 66.726,34, detalhando em planilha que incluiu até as perdas com ração.

“As 18 mil frangos gerariam uma receita de 130 mil reais, mas a empresa Globo Aves, que trabalha em parceria com as granjas regionais, abriu mão de receber o valor de mercado, de maneira que o pedido indenizatório justo é o que apresentamos, acompanhados de toda a documentação necessária”, explica Ivani Bueno.

Logo após o incidente as partes entraram em acordo e a Energisa concordou em ressarcir o prejuízo de 66 mil, atestado em laudos e perícias, inclusive pelo controle interno da concessionária. Na data de ontem a empresa comunicou ao empresário que não reconhece a dívida e, se negou a cumprir o acordo.

Agora, Ivani Bueno providencia ação judicial contra a empresa, com objetivo de ter fazer cumprir o acordado na época, sem descartar acréscimo no valor, em função do reajuste de juros bancários alusivos a financiamentos que garantiam recursos para a produção de aves.

 

Fonte: Rolim Notícias

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA