Visita técnica da Semagri conhece feira livre no MT que movimenta R$ 30 milhões por ano

Projeto da Prefeitura de Vilhena vai reorganizar feiras de Vilhena para aumentar vendas de pequenos agricultores

Neste domingo, dia 3, uma comitiva coordenada pela Secretaria de Agricultura de Vilhena, formada por feirantes, produtores e secretários da Prefeitura, esteve em Tangará da Serra, no Mato Grosso. A visita técnica teve por objetivo conhecer em detalhes a feira municipal da cidade que tem mais de 300 vendedores e movimenta cerca de R$ 30 milhões por ano.

A associação responsável pela feira de Tangará conta com 310 associados que expõem e comercializam produtos variados em um espaço de 8.100 m². Os quase 130 tipos de produtos comercializados movimentam, mensalmente, aproximadamente R$ 2,5 milhões.

A visita, organizada pela secretária-adjunta de agricultura, Maria Madalena, contou também com a participação do secretário de agricultura Elói Maria e da secretária de Meio Ambiente Marcela de Almeida. Na oportunidade o grupo visitou também agroindústrias locais.

Monitorado por sistema de segurança com câmeras de vídeo, o local da feira tem também grades de elevação, rádio interna e recebe apoio da Prefeitura da cidade como fiscal da feira, bem como com a mobilização da guarda municipal que coordena o trânsito no entorno da feira.

“Tangará tem 100 mil habitantes, o mesmo que Vilhena. Fomos ver in loco os detalhes do modelo deles para que possamos aplicar as melhores soluções em nossas feiras também. Teremos a chance de potencializar a venda de todos na cidade realizando algumas mudanças que vimos no Mato Grosso”, explica Madalena.

 

Nas agroindústrias do município mato-grossense, os membros da comitiva visitaram tanques de piscicultura que abatem aproximadamente 700 kg de peixe por dia, suprindo grande parte da demanda do mercado local. Também conheceram uma torrefação de café mantida por uma empresa familiar em crescimento e que tem toda sua produção comercializada na feira do município. A cultura cafeeira tomou corpo em Rondônia recentemente e pode se desenvolver bem em Vilhena também.

 

Para Elói, “poder trocar experiências como estas enriquece os nossos produtores e propicia crescimento para os nossos produtores. A implementação das novidades observadas serão acompanhadas pelos técnicos da Semagri a fim de garantir o respaldo necessário aos pequenos produtores e comerciantes locais”, completa.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA