Menino vítima de acidente entre caminhão e ônibus na BR-364 recebe alta em Vilhena

125 views

Adriel teve uma fratura no fêmur e estava internado desde o acidente, no último sábado (28) entre Vilhena e Pimenta Bueno. Irmã do menino continua internada no hospital infantil da capital.

Adriel, uma das vítimas da colisão entre um ônibus e um caminhão na BR-364, recebeu alta na última terça-feira (31). O menino de cinco anos estava internado no hospital de Vilhena (RO), no Cone Sul, desde o acidente no dia 28 de dezembro.

Segundo a tia da criança, Ecilandra Silva, que acompanhou o menino no hospital, a recuperação tem sido boa. “Ele está muito bem. Está dormindo bem, não está sentindo dor, a recuperação dele está sendo ótima graças a Deus”, conta.

A mãe de Adriel está em Porto Velho acompanhando a filha Aquila, de 10 anos, que está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no hospital Cosme e Damião, também devido o acidente.

Segundo Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), apesar de apresentar um quadro clínico grave e de ainda estar entubada, a menina está respondendo bem ao tratamento e tem apresentado melhora.

O acidente

Um caminhão colidiu com um ônibus no último sábado (28) no Km 52 na BR-364, entre Vilhena e Pimenta Bueno (RO), deixando seis mortos e 26 feridos. Chovia na hora do acidente. Na ocasião, cerca de 60 profissionais participaram dos trabalhos no hospital para atendimento às vítimas, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e assistentes sociais.

Infográfico mostra local do acidente que matou seis pessoas na BR-364 em Rondônia — Foto: Rodrigo Sanches/G1Infográfico mostra local do acidente que matou seis pessoas na BR-364 em Rondônia — Foto: Rodrigo Sanches/G1

Entre os mortos estão dois motoristas do ônibus, uma passageira, o motorista do caminhão, a esposa e a filha deles, de 2 anos.

Segundo apurado inicialmente pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), o caminhão invadiu a pista do ônibus e provocou o acidente. A Polícia Civil informou que o laudo do acidente deve ficar pronto em 30 dias.

FonteG1

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA